Sistematização OFICINAS :: Adolescência: Conflitos e limites :: 29/01/2015

 

No dia 29 de janeiro de 2015, foi realizada a oficina “Adolescência: Conflitos e limites”, na Universidade São Judas, com a participação da especialista Maria de Lourdes Trassi Teixeira (Lurdinha), graduada em Psicologia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras São Bento da PUCSP, doutorado em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002).

 

Lurdinha iniciou a Oficina convidando os participantes a recordarem-se de sua adolescência: sentimentos, impressões, sensações… A partir disso, trouxe conceitos fundamentais para compreensão de adolescência: aspectos biológicos, psicológicos e sociais.

 

Com relação às mudanças biológicas, a adolescência é uma fase marcada por mudanças no corpo, que podem causar estranhamento e dificuldades em lidar com uma nova imagem. Neste sentido, os impactos emocionais apresentam-se a partir de conflitos de identidade e lugar no mundo. O contexto social ao qual o adolescente está inserido, como por exemplo a família e a classe social a que pertencem, também são aspectos que compõem a

 

identidade e personalidade na adolescência.  A fim de buscar sua própria identidade, é comum que o adolescente, busque pelo pertencimento e aceitação através das “tribos” que eleja pertencer, e segundo Lurdinha, as tribos são muito mais do que um aglomerado de adolescentes vestidos da mesma forma – são uma filosofia de vida.

Lurdinha trouxe concepções distintas sobre adolescência. A OMS (Organização Mundial da Saúde) entende adolescência como um período do desenvolvimento compreendido dos 10 aos 16 anos e dos 16 aos 20 anos, enquanto no ECA, a adolescência é compreendida dos 12 aos 18 anos. Na prática, deve-se compreender as distintas etapas da adolescência para a

 

proposta de atividades e na relação estabelecida com os adolescentes, pois um adolescente de 12 anos tem questões muito distintas de um adolescente de 17 anos.

Como lidar com os adolescentes no contexto do acolhimento?

Partindo da concepção de adolescente como uma fase do desenvolvimento humano marcada por muitas mudanças físicas e psicológicas, Lurdinha contextualizou a adolescência nos serviços de acolhimento, e discorreu acerca das relações com o outro e perspectivas de futuro. O acolhimento pressupõe uma vivência e ou exposição precedente

 

ao risco e/ou vulnerabilidade, e o afastamento deste de suas famílias, costumes e comunidade. Neste sentido, é importante considerar sua história de vida, o contexto social e familiar em que estão inseridos para possibilitar uma relação. É de suma importância a disponibilidade/abertura dos educadores na aproximação com os adolescentes,

 

possibilitando uma relação individualizada, livre das generalizações e preconceitos. Lurdinha ressalta ainda que a aproximação não quer dizer permissividade, e sim presença e abertura para o diálogo.

Lurdinha trouxe importantes questionamentos acerca da concepção e relação da equipe com os adolescentes, pois a forma que os percebemos é a forma que lidaremos com eles.  Além disso, é importante haver uma linguagem comum para o desenvolvimento das relações com os adolescentes, o que não quer dizer desconsiderar suas singularidades. Foi enfatizada a importância das reuniões de equipe para discussões de caso e alinhamento

 

pedagógico, e da disponibilidade e interesse genuínos na escuta dos adolescentes. A escuta é uma importante ferramenta para compreendê-los de maneira individualizada, assim como o silêncio e a fala nos momentos apropriados.

Com relação aos limites, é fundamental que a equipe identifique seus próprios limites na lida com as questões emergidas pelos adolescentes; A questão da sexualidade, por exemplo, é um tema recorrente na adolescência, e se a equipe não tiver alinhamento e habilidade para lidar com esta questão, as intervenções com os adolescentes podem ser pouco pedagógicas e pautadas nos limites de cada educador. Não se trata de ter uma postura de permissividade e nem de proibição, mas de muito diálogo.

O comportamento agressivo dos adolescentes é uma forma de expressar sentimentos e muitas vezes representam a forma como aprenderam a se colocar, por isso é importante o

 

olhar individualizado e diálogo como estratégias de aproximação. Outro aspecto importante a ser considerado, é a autonomia e perspectiva de futuro. A Autonomia é compreendia como um processo, e deve ser trabalhada desde a infância, para que a institucionalização não limite as possibilidades dos adolescentes em suas vidas durante e após o período de acolhimento. É importante considerar a realidade a qual cada adolescente está inserido, mas é fundamental apresentar novas possibilidades e

 

experiências como projeto de vida.

oficina adolescencia

 

Como estratégias para lidar com os adolescentes no contexto do acolhimento, os grupos trouxeram:

– Construir o PIA em conjunto com o adolescente, considerando-o como sujeito ativo no processo.

– Confiar no adolescente, escutar, oferecer espaços na comunidade para eles participarem.

– Abrir as portas dos serviços para a aproximação da comunidade dos adolescentes.

– Capacitar, fortalecer e fomentar espaços de discussão entre a equipe com vistas ao diálogo horizontal entre educadores e adolescentes.

– Potencializar o adolescente através de ações cotidianas, para que eles se sintam pertencentes ao serviço, e ao mesmo tempo desenvolvendo sua autonomia.

– Garantir espaços de expressão na rotina, trazendo diferentes linguagens (arte, diálogo, oficinas, assembléias e etc)

– Aproximar a família dos adolescentes

Esta oficina faz parte do projeto Acolhimento em Rede Zona Leste realizado pelo Instituto Fazendo História com o apoio do FUMCAD, CMDCA e Prefeitura de São Paulo. E patrocínio das Casas Bahia e Credit Suisse.

Anúncios

Sobre institutofh

Fundadora do Instituto Fazendo História.
Esse post foi publicado em Oficinas e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s